8.2.07

A PERGUNTA DO BALDE

Por André Coruja
dO Meio do Mundo



Se eu tivesse fé
talvez o chão vestisse plumas
no pedaço a cair
talvez eu não usasse armadura
Se eu botasse um amor de Deus
nas palavras externas da boca,
em cada vírgula,
a fala não usaria pontuação
Iria direto, sem medo

Há muito eu não enxergo
o que não se vê
e perdi o corrimão, a bengala
A outra mão dada

Eu nunca vi a noite
e não disse silêncio
por não andar caminho

Ah, se eu guardasse no peito
uma escada pro céu
eu a usaria no poço
pra sair

3 comentários:

Lais testando... disse...

huhuhuhuhu
nem sabia q tinhas blog!!!
eu ja vi essa do balde!
=)
e eu nem sei o fotolog do viés!

Gigantomania disse...

Não esperava que, algum dia, houvesse uma citação de Deus em algum dos teus poemas.

Um abraço.

Gigantomania disse...

Quem escreveu acima foi Lucas Berredo.